SISTEMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

 

O Sistema de Avaliação Institucional (SAI), criado pelo Centro Paula Souza, avalia todas as Etecs e Fatecs, anualmente. Por meio de mecanismos que coletam informações entre a comunidade acadêmica, pais de alunos e egressos,o SAI avalia os processos de funcionamento das escolas, seus resultados e impactos na realidade social onde a instituição se insere.

 

Área de avaliação institucional

O Centro Paula Souza, preocupado com a qualidade do ensino profissional, organizou a Assessoria de Avaliação Institucional. Essa Assessoria criou o SAI – Sistema de Avaliação Institucional, que tem por finalidade avaliar os processos de funcionamento das unidades escolares, seus resultados e impactos na realidade social onde a instituição se insere.

 

Objetivos do SAI

– Busca da qualidade;

– Auto-conhecimento;

– Instrumentalizar o planejamento com informações;

– Atender à função social de prestar contas à sociedade.

 

Breve histórico

Obedecendo as tendências que o mercado de trabalho exige e procurando adequar-se constantemente, o Centro Paula Souza, através de sua Assessoria de Avaliação Institucional, iniciou a implantação, em 1997, do seu Sistema de Avaliação Institucional (SAI).

Seguindo os mais rigorosos critérios estatísticos, e embasado em uma metodologia dinâmica, o SAI foi validado em 1998 e implantado em 1999 em todas Etecs e Fatecs do Centro Paula Souza.

Anualmente, todas as escolas técnicas e faculdades de tecnologia são avaliadas para medir o seu nível de aprimoramento.

Em 2001, a pesquisa passou a ser censitária, com atuação de alunos monitores.

A Assessoria de Avaliação Institucional conta com a participação do Grupo de Trabalho, que é formado por representantes das unidades, que se reúne periodicamente para adequar o SAI.

 

Metodologia

O SAI fundamenta-se em aspirações da comunidade e em resultados alcançados.

O Sistema de Avaliação Institucional, baseia-se em dois pressupostos para avaliar o ensino que a Instituição oferece:
– Atendimento das aspirações e satisfação, de alunos e comunidade, geradas pelas necessidades de determinado momento. Elas indicam a eficiência da Instituição. São apuradas pelos questionários específicos para alunos, professores, funcionários, pais e diretores de escola.
– Resultados do desempenho escolar expressos pela produtividade, relação candidato / vaga, número de profissionais formados e empregabilidade de egressos dentre outros indicadores.

 

Participam da pesquisa:

Etec – alunos, professores, funcionários, pais, diretores e representantes das comunidades escolares;

Fatec – alunos, professores, funcionários e diretores.

 

SAIE – Sistema de Acompanhamento Institucional de Egressos

Desde 1996, o Centro Paula Souza preocupa-se em saber se os técnicos e tecnólogos que forma estão trabalhando, se estão com dificuldades no desempenho profissional e se obtiveram melhorias pessoais e profissionais. As respostas a essas indagações permitem perceber se o ensino oferecido contribuiu para integrar o egresso como cidadão e profissional aos setores em que atua e às necessidades do mercado. Auxiliam também a aprimorar o perfil do tecnólogo, para estar sempre em sintonia com as exigências e mudanças do mercado de trabalho.

Em 2000, o método de pesquisa foi alterado. Os ex-alunos passaram a ser pesquisados semestralmente pela Assessoria de Avaliação Institucional através do SAIE – Sistema de Acompanhamento Institucional de Egressos. As pesquisas são realizadas a partir de um cadastro semestral de todos os possíveis concluintes de curso, realizado pelas escolas. Após um ano de conclusão do curso, a Assessoria de Avaliação Institucional, responsável pelas pesquisas, envia questionários, via correio, a todos os cadastrados. A partir das respostas devolvidas por carta-resposta ou pela internet, são emitidos relatórios que servem como referencial sobre a situação dos técnicos e tecnólogos e sua inserção na sociedade.

 

Desdobramentos

Projeto caminhar como resultado do processo democrático e participativo do SAI

Os aspectos democráticos e participativos desenvolvidos pela Assessoria de Avaliação Institucional permitem que diretores de escola, representantes das comunidades escolares e Grupo de Trabalho, elaborem um programa para a melhoria do desempenho das escolas. Dentro dessa programação são realizados, entre outras atividades: Fóruns Regionais de Avaliação, Seminários, Reuniões para troca de experiências e Reuniões de orientação e capacitação.

Todos esses desdobramentos solicitados, foram sistematizados pela Assessoria de Avaliação Institucional no Projeto Caminhar.

Dos Fóruns Regionais participam alunos, professores, pais, funcionários e representantes das comunidades locais.

 

Avaliação dos cursos técnicos

A avaliação dos cursos técnicos ministrados pelas unidades do Centro Paula Souza é resultante da mesma base metodológica do SAI/Etec, que apura o desempenho das unidades escolares.

Os dados de desempenho de um mesmo curso, oferecido por diferentes unidades, são sistematizados de modo a possibilitar uma análise da inserção dos profissionais no mercado de trabalho, das diferenças regionais e dos procedimentos pedagógicos específicos. As informações permitem uma busca pela superação da qualidade no cumprimento da missão do Centro Paula Souza e atendimento às demandas decorrentes dos avanços técnico-científicos.

O SAI / Etec – 2009, envolveu dados da pesquisa de 144.938 alunos e de 7.253 egressos, possibilitando a avaliação de 104 cursos técnicos.

 

Avaliação dos cursos superiores de tecnologia

A avaliação dos cursos superiores de tecnologia ministrados pelas Faculdades de Tecnologia do Centro Paula Souza, é parte integrante do SAI – Sistema de Avaliação Institucional.

O SAI permite a obtenção de informações necessárias à programação de cada unidade e de cada curso na busca da excelência e inovação da educação profissional, em atendimento ao desenvolvimento social e econômico do país.

O desempenho de cada curso constitui-se de uma síntese da avaliação de alunos e egressos de todas as FATECs que oferecem o curso.

O SAI/Fatec-2009, envolveu os dados de pesquisa de 35.264 alunos e 886 egressos, que possibilitaram uma reflexão sobre os 48 cursos analisados e sua distribuição pelas diversas regiões do Estado.